Livros

1 de julho de 2012
 

Por que Quatro Evangelhos?

Mais artigos de »
Escrito por: Arthur W. Pink
Tags:
marca_dagua_banners2

Já faz mais de doze anos que, pela primeira vez, lemos o livro de Andrew Jukes sobre os Evangelhos, livro em que ele tão habilmente descreve os diferentes títulos que os quatro evangelistas, separadamente, atribuem ao Senhor Jesus Cristo. Desde então temos continuado, com crescente prazer, a anotar cuidadosamente as várias características peculiares a cada Evangelho.

Temos tido o privilégio de fazer uma série de estudos bíblicos sobre o propósito e o alvo dos Evangelhos, a diversos grupos, tanto na Inglaterra como neste país, e foram muitos os pedidos que nos fizeram para colocar esses estudos em forma de livro. Até hoje, hesitamos em atender a esses pedidos porque Jukes, cinquenta anos atrás, lidou com esse assunto com muito maior habilidade do que nós poderíamos sequer desejar. Desde a época dele, vários outros escreveram sobre esse tema, mas não com a mesma clareza nem conseguiram produzir material tão útil como o dele. Na verdade, Jukes explorou o assunto tão completamente (pelo menos em sua essência) que, para qualquer outro escritor que queira apresentar uma visão panorâmica dos quatro Evangelhos será quase impossível fazê-lo sem repisar muito do terreno coberto pelo escritor original, acabando por repetir aquilo que ele, pela graça de Deus, expôs com tanta propriedade. É somente porque o trabalho de Jukes é desconhecido de muitos que esperamos alcançar, que nos atrevemos agora a apresentar ao público cristão estes estudos. Empenhamo-nos diligentemente na preparação deste trabalho, procurando assimilar cuidadosamente aquilo que primeiro recebemos do autor acima mencionado, acrescentando, ao mesmo tempo, nossas
próprias descobertas.

Download (PDF, 786KB)



Sobre o Autor

Arthur W. Pink
Arthur Walkington Pink (1886-1952) nasceu na Grã-Bretanha e imigrou para os Estados Unidos para estudar no Instituto Bíblico Moody. Pastoreou igrejas no Colorado, na Califórnia, no Kentucky, e na Carolina do Sul, antes de se tornar um professor itinerante da Bíblia em 1919. Ele retornou à sua terra natal em 1934, estabelecendo residência na Ilha de Lewis, na Escócia, em 1940, permanecendo lá até sua morte em 1952.



 
 

 
logo-r1

O pequeno segredo sujo dos endossos

Umas duas semanas atrás Carl Trueman postou uma resenha de um novo livro do G. R. Evans. Trueman tinha lido The Roots of the Reformation: Tradition, Emergence and Rupture na esperança de que poderia usá-lo como texto para su...
por Tim Challies
 

 
 
logo-r1

Cristo cumpriu os dez mandamentos

Adão quebrou os dez mandamentos no Éden. Mas Cristo guardou os dez mandamentos no “deserto”, sob circunstâncias muito mais intensas do que aquelas às quais Adão foi submetido. Guardou o primeiro mandamento. Ele trouxe ...
por Mark Jones
 

 
 
marca_dagua_banners_a

Adão quebrou os dez mandamentos no Éden

  Quais mandamentos Adão quebrou no Jardim quando ele e sua esposa comeram da árvore que Deus ordenou não comessem (Gn 2.16-17; 3.6)? Creio que ele quebrou cada um dos dez mandamentos, e não apenas um ou dois mandament...
por Mark Jones
 

 

 
marca_dagua_banners

O céu beijou a terra: a encarnação

O que é a encarnação? É o céu beijando a terra. Como disse o puritano Thomas Goodwin, quando o Filho tornou-se carne, “céu e terra se encontraram e se beijaram, a saber, Deus e o homem”.
por Mark Jones
 

 
 
marca_dagua_banners_la

A Oração do Senhor

Excelente exposição sobre a famosa “Oração do Senhor”.      
por Arthur W. Pink
 

 
 
marca_dagua_banners2

As Responsabilidades do Presbítero

Em textos como Atos 20.28, 1 Pedro 5.1-3 e Hebreus 13.17, fica claro que os presbíteros são (a) pastores do rebanho de Deus. Eles devem cuidar, guiar e alimentar o povo de Deus com a verdade de sua Palavra, assim como bons pa...
por G. I. Williamson