Ministério da Igreja

6 de fevereiro de 2009
 

O Eunuco Etíope foi Imerso?

Mais artigos de »
Escrito por: Brian Crossett
Tags:
eunuco-etiope-imersao-bc

Um Batista estava ansioso para falar comigo sobre o assunto do batismo por imersão. Totalmente convencido do caso irrefutável apresentado por ele, e me considerando um cristão genuíno, ele prosseguiu para esboçar o seu caso.

“Você lê sobre aspergir ou efundir no batismo do eunuco etíope e Filipe?”, ele perguntou.

Respondi: “Esse exemplo é a forma como você conduz o batismo em sua igreja?”. Ele explicou que deixando os detalhes irrelevantes de lado, tais como a localização e o fato que nenhuma testemunha estava presente, a resposta era sim.

Perguntei se não era incomum que seu pastor fosse batizado sempre que tivesse que batizar alguém. De certa forma embaraçado, ele declarou que seu pastor não era batizado todas as vezes de forma alguma; somente o cristão adulto era batizado. Respondi: “Mas não é batismo por imersão”. “Sim”, ele concordou, “mas o pastor não é imerso em cada batismo, somente aqueles a quem ele administra a cerimônia”.

Assim, perguntei: “Por que Filipe entrou na água com o eunuco, se não era necessário?”. Com certa hesitação, ele disse que Filipe não entrou na água, apenas o eunuco.

Citei Atos 8:38: “…e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou” (RC).

Note o erro da noção que descer às águas é interpretado como imersão, visto que assim envolve dupla imersão. O entendimento apropriado é que o batismo acontece não como parte do descer, mas imediatamente após eles descerem. Isso é indicado pelo conjuntivo “e”: “…e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou”.

 

Fonte: http://www.cprf.co.uk

Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto (março/2007)



Sobre o Autor

Brian Crossett
O autor é presbítero da Covenant Protestant Reformed Church (CPRC), na Irlanda do Norte.



 
 

 
batismo-michael-kimmitt

Fé e arrependimento antes do batismo?

O argumento é, sem dúvida, o seguinte: como os infantes são incapazes de exercer tanto fé como arrependimento, eles não são sujeitos apropriados do batismo. Mas entendamos um pouco mais o argumento e vejamos que se trata ...
por Michael Kimmitt
 

 
 
fe-batismo-rhanko

Fé e Batismo

Desejamos lidar agora com o importante argumento Batista de que a fé deve necessariamente preceder o batismo. Assim, os Batistas falam do batismo como “batismo de crentes”.
por Ronald Hanko
 

 
 
pergunta-batista-mais-comum

A Pergunta Batista Mais Comum

ual é a pergunta mais comum que um batista faz aos pedobatistas (aqueles que creem que os filhos dos crentes devem ser batizados)? Provavelmente: “Mostre-me algum lugar no Novo Testamento onde um infante é batizado”. A re...
por Brian Crossett
 

 

 
origem-divina-batismo-infantil

A Origem Divina do Batismo Infantil

Deus sempre tem tido um povo seu, através dos séculos, desde os tempos de Adão, quando prometeu que uma futura Semente da mulher havia de ferir a cabeça da Serpente. Adão, Seth, Noé e Abraão foram os primeiros destacados...
por Philippe Landes
 

 
 
quando-nasce-uma-crianca

Quando Nasce uma Criança

uando nasce uma criança, em lar cristão, os pais começam logo a sonhar fagueiramente com o futuro do filhinho querido, como, há séculos, sonharam Sara e Abraão, Ana e Elcana, Isabel e Zacarias, e tantos outros pais crente...
por Philippe Landes
 

 
 
incredulos-pacto-rhanko

Incrédulos e o Pacto

Uma objeção dos Batistas ao batismo infantil é que alguns que não são e nunca serão salvos são batizados. Eles constantemente recordam àqueles que praticam o batismo infantil que ao batizar infantes, estão batizando pe...
por Ronald Hanko