Vida Cristã

16 de agosto de 2013
 

Luz do Mundo

Mais artigos de »
Escrito por: Brian Schwertley
Tags:
luz-lampada

O uso do termo luz na Escritura é muito rico. O termo é usado para descrever o próprio Deus e enfatizar a sua santidade e justiça. “Deus é luz, e não há nele treva nenhuma” (1 João 1.5). O Senhor é o “Pai das luzes” (Tiago 1.17), que está “coberto de luz como de um manto” (Salmo 104.2) e “habita em luz inacessível” (1Tm 6.16). A luz é relacionada também à salvação de Jeová: “O SENHOR é a minha luz e a minha salvação” (Salmo 27.1). A atividade salvadora de Deus ilumina as trevas da calamidade e tribulação e dá vida, paz e alegria.

No evangelho de João Jesus é descrito como a “vida” e “a luz dos homens”, “a luz que resplandece nas trevas” (Jo 1.4,5); e “a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem” (1.9). Ele é chamado “a luz do mundo” (8.12; 9.5). Assim como os israelitas seguiam a Luz quando saíram da terra de escravidão, em direção à terra prometida, assim os discípulos do Salvador o seguem, saindo das trevas do pecado, ignorância, depravação, e morte, em direção à redenção no sentido mais pleno desse termo. Por causa disso o nosso Senhor disse: “Eu vim como luz para o mundo, a fim de que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas” (Jo 12.46). Cristo se apresenta a toda a humanidade como a única fonte de salvação do pecado e como iluminação espiritual a respeito de toda verdade espiritual.

Toda a luz que os homens têm, ou possam ter, vem de Jesus. Como a luz foi a primeira coisa na criação original, a luz de Cristo é o fundamento da recriação salvadora. Portanto, quando discutimos os cristãos como luz sempre devemos ver Jesus como a luz original e não derivada. Ele é o Deus homem; a fonte de verdade, salvação, santidade, revelação e justiça. “Num sentido secundário os cristãos são a luz do mundo; Cristo imediatamente, eles mediatamente; ele a original, eles a derivado; ele o sol, eles a lua refletindo o sol.”

O profeta Isaías descreve Cristo e seu ministério como uma grande luz brilhando sobre os habitantes da Galileia: “O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz” (Is 9.2). Por causa de Jesus e o seu evangelho, uma grande luz apareceu àqueles que andavam nas trevas. “No lugar das trevas da calamidade as pessoas viram a luz da paz e bem-aventurança; no lugar das trevas da morte, a luz da vida; no lugar das trevas da ignorância, a luz do conhecimento; no lugar das trevas do pecado, a luz da salvação. A salvação em seu sentido mais amplo brilhou sobre essas pessoas; ocorreu uma completa reversão de sua condição.”

O termo luz é também usado para descrever a revelação escrita de Deus, pois é por meio da sagrada Escritura que aprendemos o que devemos crer para sermos salvos e levar vidas que agradam a Deus. Como Davi disse, “Pois em ti está o manancial da vida; na tua luz, vemos a luz” (Sl 36.9). “Porque o mandamento é lâmpada, e a instrução, luz…” (Pv 6.23). “Envia a tua luz e a tua verdade, para que me guiem” (Sl 43.3). “A revelação das tuas palavras esclarece e dá entendimento aos simples” (Sl 119.130). Deus, sem dúvida, precisa nos iluminar pelo seu Espírito para que sua Palavra seja eficaz. “Porque fazes resplandecer a minha lâmpada; o SENHOR, meu Deus, derrama luz nas minhas trevas” (Sl 18.28).

Paula usa o termo luz para descrever o evangelho de Jesus Cristo e representar Deus brilhando no coração do homem para causar regeneração e conversão. “Nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus. Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo” (2Co 4.4-6). Deus nos dá a luz do evangelho e a luz do entendimento espiritual quando remove o véu que reside em nosso coração e nos mostra a glória de Cristo. Para o eleito, a verdade salvadora é sempre acompanhada por um entendimento espiritual dela.

Na passagem diante de nós, os discípulos são chamados de luz porque os cristãos, por suas palavras e obras, são chamados a ser transmissores da luz de Cristo e do evangelho. Jesus era a luz própria no sentido que, em seu ser e na sua obra de redenção, ele é o fundamento e a fonte da verdade, salvação e iluminação. A luz de Jesus: (1) nos livra das trevas da morte espiritual (“Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados”, Ef 2.1. Cristo, por seu sofrimento e morte, mereceu a regeneração, fé e arrependimento para o seu povo. O que eles eram incapazes de fazer em suas trevas e depravação ética, o Salvador conseguiu para eles); (2) nos salvou das trevas ou cegueira imposta sobre o homem caído pelo pecado (veja 2Co 4.4); (3) nos redimiu das trevas da morte eterna e do inferno pelo seu dom de justificação (Ef 2.8-9; Fl 3.8-9); (4) nos libertou da escravidão ao pecado e do andar nas trevas por seu dom da santificação definitiva. “Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade” (1Jo 1.6; cf. Rm 6). “Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz (porque o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade), provando sempre o que é agradável ao Senhor. E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as” (Ef 5.8-11). Portanto, quando falamos dos cristãos sendo luz, essa é sempre um espelho que reflete a luz de Cristo já revelada e recebida.

Somos luz porque cremos e possuímos a verdade e comunicamos essa verdade sobre Cristo a um mundo em trevas. Como o sal da terra os discípulos eram cruciais em purificar e preservar o mundo; como a luz do mundo eles devem iluminá-lo com a luz de Cristo. Sal é usado para deter a putrefação, enquanto luz é usada para iluminar e dissipar as trevas. As metáforas são similares, exceto que o sal é primariamente negativo e a luz primariamente positiva. Ela ilumina, esclarece e capacita as pessoas a ver. “O pensamento necessariamente sugerido à multidão de ouvintes foi o de comunicar conhecimento, corrigir erros e dissipar a escuridão, coisas inseparáveis do estado de ignorância espiritual.”

A declaração, “vós sois a luz do mundo”, como a declaração sobre o sal, é muito enfática. “Vocês (i.e., os cristãos) e somente vocês são a luz do mundo”. A única esperança do mundo de salvação, iluminação espiritual e libertação das trevas reside nos seguidores de Cristo como indivíduos e como um corpo (e.g., as sete igrejas na Ásia são descritas por João, sob inspiração divina, como sete candeeiros de ouro [Ap 1.12-13,20]). Também, como a metáfora do sal, o termo luz aplica-se especialmente aos apóstolos e a todos os pregadores do evangelho, que testemunham de Jesus de uma maneira única, comissionada. Como Jesus disse a Paulo: “Livrando-te do povo e dos gentios, para os quais eu te envio, para lhes abrires os olhos e os converteres das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim” (At. 26.17-18).

 

Fonte: The Sermon on the Mount: A Reformed Exposition, de Brian Schwertley

Tradução: Felipe Sabino (agosto/2013)



Sobre o Autor

Brian Schwertley




 
 

 
marca_dagua_banners_la

Beleza imperecível

Há algum tempo um leitor deste site perguntou se eu poderia responder a uma preocupação de sua vida. Ele estava cortejando uma moça e começando a pensar em casamento, mas de repente descobriu que não se sentia mais atra...
por Tim Challies
 

 
 
marca_dagua_banners

Deus usa os bostas!

Perdão pelo título desse artigo, mas poderíamos negar essa afirmação? Deus usa os bostas, caro leitor! Pensemos nos primórdios do cristianismo. Como se deu o seu avanço? Era um movimento obscuro, marginal, com ninguém i...
por Felipe Sabino
 

 
 
marca_dagua_banners

Sexo, Namoro e Relacionamentos

Ontem à noite, minha esposa e eu nos sentamos e fizemos uma contagem aproximada do número de casais que conhecemos e passaram pelo namoro e noivado. É um bom número de amigos, familiares e membros da nossa igreja. Então pe...
por Tim Challies
 

 

 
marca_dagua_banners2

Quão Longe é Muito Longe?

Num momento ou outro, todo mundo já fez ou precisou responder as seguintes perguntas: Quando se trata do componente físico de um relacionamento de namoro, quão longe é muito longe? Podemos dar as mãos? Podemos beijar?
por Tim Challies
 

 
 
marca_dagua_banners

O Pai Trinitariano

ui convidado pelo Pastor Mickey Schnider para me unir aos pastores Gregg Strawbridge e Rich Lusk na tarefa de proferir algumas palestras sobre o assunto Liderança na Igreja e Família, na 22ª Conferência do Progresso da Fam...
por Uri Brito
 

 
 
marca_dagua_banners

A Prática da Verdade

No que diz respeito ao primeiro dos princípios sobre os quais falamos no início do Apêndice B, “a completa posição doutrinária do cristianismo histórico deve ser claramente mantida”, parece-me que o problema ...
por Francis Schaeffer