Outras Categorias

26 de dezembro de 2011

O que é o Evangelho?

Mais artigos de »
Escrito por: Leslie Wiggins

RECOMENDADO. Um feixe de laser de 162 páginas sobre o que é de primordial importância para a igreja e o cristão: o evangelho de Jesus Cristo.

O que é o evangelho? O blog 9Marcas fez a pergunta e descobriu que os cristãos que deixaram uma resposta apresentaram respostas muito diferentes. Uma pesquisa rápida em uma dúzia de páginas “No que cremos”, em websites de igrejas, trará uma dúzia de explicações diferentes sobre o evangelho. De acordo com Greg Gilbert, pastor na Capitol Hill Baptist Church, muitas dessas explicações não são bíblicas. Em seu livro, O que é o Evangelho?, Gilbert volta-se para a Bíblia, especialmente para os sermões e escritos dos apóstolos, como a autoridade final para o entendimento do evangelho.

Permita-me sugerir, por enquanto, que cumprimos a tarefa de definir os principais contornos do evangelho cristão, não por fazermos um estudo de palavras, e sim por examinarmos o que os primeiros cristãos disseram sobre Jesus e a importância de sua vida, morte e ressurreição. (p. 38-39)

Muitos nesta geração estão confundidos sobre o Evangelho, pois nossas tradições, capacidades de raciocínio e experiências pessoais têm nos desviado do caminho. Gilbert nos encoraja a fazermos o nosso dever de preservar o evangelho em nossa geração.

Ele primeiro visita Romanos 1-4. Usando Romanos, Gilbert explica o propósito do escrito de Paulo e os pontos principais que ele faz com respeito ao evangelho naqueles capítulos iniciais. Gilbert descobre que Paulo formula e responde quatro perguntas-chave:

Quem nos fez e diante de quem somos responsáveis?

Qual é o nosso problema? Em outras palavras, estamos em dificuldades e por quê?

Qual é a solução de Deus para esse problema? O que ele fez para nos salvar de tal situação?

Como eu – eu mesmo, aqui e agora – como eu sou incluído nessa salvação? O que essas boas-novas fazem para mim e não somente para outra pessoa?

Essas quatro perguntas fornecem a estrutura para o restante do livro. Gilbert devota um capítulo para responder cada uma das perguntas. Ao fazer isso, ele explica as naturezas de Deus, do homem e de Jesus; ele fornece um relato detalhado de tudo o que Cristo realizou por nós na cruz; ele explica o porquê o sacrifício de Cristo é suficiente e satisfatório para um Deus santo; ele ensina o que é e o que não é fé salvadora; e, finalmente, ele discute o porquê o cristianismo permanece sozinho entre as religiões do mundo.

Após responder as quatro perguntas, Gilbert continua abordando o que significa ser uma parte do reino de Deus. Ele responde a pergunta, O que a Escritura ensina sobre o reino de Deus? Ele oferece uma breve explicação do que a Bíblia ensina com respeito ao reino de Deus, o viver no já e ainda-não, e como os cristãos devem amar uns aos outros e ansiar pelo retorno do nosso Rei.

Em O que é o Evangelho?, Gilbert espera quatro coisas: que, à medida que os cristãos leiam, eles exultem em louvor e alegria ao considerar tudo o que Cristo realizou por eles; que eles se tornem mais confiantes em compartilhar o evangelho com os perdidos; que eles sirvam suas igrejas assegurando que o evangelho pleno seja pregado, cantado, orando, ensinado, proclamado e ouvido em cada aspecto da vida de suas igrejas; que os contornos nítidos do evangelho sejam preservados, e não sacrificados no altar de tornar o evangelho mais palatável; e que os incrédulos possam ler este livro e serem desafiados a considerar seriamente as boas novas de Jesus Cristo. Gilbert consegue cumprir tudo isso.

Cada geração se depara com a tarefa de preservar o evangelho, e, em nossos dias, grande parte da nossa geração está confusa. Este livro ajudará líderes e leigos a avaliar, num nível corporativo e individual, sua fidelidade ao Evangelho. Eu não posso melhorar a sinopse de C. J. Mahaney: “Como eu desejaria poder colocar este livro nas mãos de cada pastor e membro da igreja”.

Dados do livro:

Título: O que é o Evangelho?
Autor: Greg Gilbert
162 páginas
Editora Fiel

 

Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto – setembro/2011



Sobre o Autor

Leslie Wiggins





 
 

 
marca_dagua_banners_la

Beleza imperecível

Há algum tempo um leitor deste site perguntou se eu poderia responder a uma preocupação de sua vida. Ele estava cortejando uma moça e começando a pensar em casamento, mas de repente descobriu que não se sentia mais atra...
por Tim Challies
 

 
 
marca_dagua_banners_ch

Aos pais pedobatistas

O batismo infantil inflige o temor de Deus em mim. Ele realmente estabelece — de uma forma pública e visível — um relacionamento pactual. Um relacionamento de amor, envolvendo promessas e responsabilidades, bênçãos e m...
por Mark Jones
 

 
 
marca_dagua_banners_a

A religião mais restritiva no mundo

A religião cristã é ao mesmo tempo a mais abrangente e a mais restritiva no mundo. É uma fé que admite todo tipo possível de pessoa. Mas as admite em apenas um caminho. Há somente um Deus. Somente um. Se houvessem dois d...
por Tim Challies
 

 

 
marca_dagua_banners_la

Ainda não é o fim!

Não poucos cristãos ficam alarmados diante das tragédias dos nossos dias. Quer estejamos falando de catástrofes naturais, como o tsunami, ou de decadência moral, como a legalização do “casamento” homossexual, tais ac...
por Felipe Sabino
 

 
 
marca_dagua_banners

Um apelo aos presbíteros

Fui lembrado pelos eventos de ontem[1] o quanto dependo dos meus presbíteros. A tarefa do presbítero é pastorear o pastor. Se eles não fizerem isso, ninguém mais o fará. Isso significa que haverá tempos quando o presbít...
por Carl Trueman
 

 
 
logo-r1

O pequeno segredo sujo dos endossos

Umas duas semanas atrás Carl Trueman postou uma resenha de um novo livro do G. R. Evans. Trueman tinha lido The Roots of the Reformation: Tradition, Emergence and Rupture na esperança de que poderia usá-lo como texto para su...
por Tim Challies
 

 




0 Comments


Be the first to comment!


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>